14 Dezembro 2017

Facebook

O dia mais dourado do Brasil no México | Blog Blog do Coach

Oito medalhas e quatro ouros, a Seleção Brasileira Paralímpica segue na quarta posição do quadro de medalhas do Mundial do México. Ao final do quarto dia, o mais dourado de nossa equipe, alguns pontos chamam a atenção na competição:

 

* Com 79 provas disputadas, são poucos os recordes mundiais, apenas três. Isso pode ser resultado de uma série de fatores como a data alterada da competição, os efeitos da altitude, a ausência de alguns países.

 

 

* Estados Unidos, Itália e Brasil seguem duros na briga pelas posições de segundo ao quarto lugar. A China, esquece, já tem 20 ouros. Estados Unidos está em segundo com 14, Brasil e Itália empatados com 12. Os dois seguem empatados nas pratas com 8 e o Brasil cai para o quarto por conta de um bronze a menos, 7x6. Esta briga vai até o último dia.

 

 

* Pouco público, pouco mesmo. Os ingressos não são caros, cerca de 5 dólares por etapa. Mesmo com  o esporte paralímpico ter tradição no México, parece que faltou promoção mesmo.

 

* Melhorar tempo tem sido um desafio para a equipe brasileira. Até agora, apenas um recorde nacional com Cecília Araújo nos 100 livre S8. Com a mudança de data da competição, nossos atletas chegam ao México com 50 semanas de treinamento. Um pouco pesado, mas infelizmente inevitável.

Leia Mais http://globoesporte.globo.com/sportv/blogs/especial-blog/blog-do-coach/post/o-dia-mais-dourado-do-brasil-no-mexico.html

Clubes Associados

clubelabareda iate.png Palmeiras.png        
         serr.png          
                   
        

 

 

 

http://www.zoofirma.ru/